segunda-feira, 29 de julho de 2013

Olinda e Recife, 1630

Olinda era nesse tempo a capital da capitania de Pernambuco. Situada um pouco ao norte do cabo de Santo Agostinho é a cidade edificada em terreno elevado vizinho da costa. Contava, então, cerca de 2.000 habitantes, destacando-se várias pessoas abastadas e grande número de comerciantes em boa situação. Existiam quatro conventos de frades e um de religiosas, 130 eclesiásticos e 7 igrejas católicas.

Ao sul estende-se uma faixa de terra,  entre o rio Beberibe e o mar, no extremo da qual se formara um núcleo de gente humilde e onde se construiram armazéns e entrepostos dos negociantes de Olinda. Era esse povoado protegido pelo forte de São Jorge e tinha umas 150 casas. A pequena distância da costa há um arrecife que deixa de ser visível nas horas do preamar. Numa das pontas do arrecife, e defronte do forte de São Jorge, elevava-se o castelo de São Francisco todo de blocos de pedra e dominando inteiramente a entrada do porto. Entre os recifes e o continente, sobre outro banco de areia formado na embocadura do rio Capibaribe fica a ilha de Antônio Vaz.


Os Holandeses no Brasil
Pieter Marinus Netscher, 1853

domingo, 7 de julho de 2013

Pernambuco. O que significa?

... de este Pernambuco, vem próprio vocábulo, pernambuc (que quer dizer mar furado na lingoa do gentio). Ruy Pereira, 1561;

Em o meyo desta obra alpestre e dura,
Hua boca rompeo o Mar inchado,
Que na língua dos bárbaros escura,
Paranambuco, de todos He chamado
Bento Teixeira, 1601;

Este nome Pernambuco, derivado ou corrupção de Paranãbuca, com que os Cahetés designavam o Porto. Cazal, 1817;

Pernambuco não vem de Paraná-búca, nem significa boca do mar; porem vem de Pará-nã, rio, e de Mbucú ou Pucú, largo, longo; significando, Rio largo ou longo ou comprido. Os conhecimentos hydrographicos eram apenas rudimentares n’um povo infante e não admira que a linguagem se resinta desse estado de cousas. Ignacio Malta, 1859

As interpretações de Pernambuco, constantes das citações transcriptas, são: mar furado, cova do mar, pedra ou mar furado, excavado pelo mar, pedra furada ou buraco, rochedo cavado das águas, bocca do mar, rio largo ou longo ou comprido, braço de mar, mar cavando os rochedos, pedra furada, furo ou língua do mar.


Baptista Caetano
Revista do Instituto Arqueológico, Histórico e Geográfico Pernambucano,
1901